sexta-feira, 17 de julho de 2009

Encarando as derrotas

Acho que não comentei ainda, no meu acidente eu desloquei alguns ossos das mãos, sendo assim tive que ficar com os dois braços engessados podendo apenas movimentar a ponta dos dedos.
Naqueles 45 dias que fiquei naquela situação confesso que vivi o inferno aqui na terra.
Neste período de tempo não tive outra escolha a não ser viver um dia de cada vez.
As vezes fico até com vergonha das coisas que pensei durante aqueles dias. Achava que tudo era culpa de Deus.
Quem me dava banho durante este tempo foi minha noiva. Eu pedia pra segurar a borracha do banheiro e jogava agua sobre o meu rosto pra chorar sem ela perceber. Eu me sentia um derrotado, um peso morto.
Devido ao tédio que estava passando não sentia vontade de ler (nem segurava o livro direito), não sentia vontade de ver televisão e não podia teclar nada no computador pois a Mao doía.
Eh! Eu perdi varias batalhas. Durante o dia eu brincava com todo mundo e a noite eu chorava e me perguntava porque estava acontecendo tudo aquilo comigo. Lembro que foram noites amargas e nestas noites meu pé esquentava parecendo que a qualquer momento ia explodir.
Digo que perdi varias batalhas, ou seja, eu perdi quando chorando dizia absurdos a Deus (a culpa não era de Deus), eu perdi quando descontava a raiva na minha noiva (a culpa não era dela) e perdi quando eu me deixei levar por pensamentos de que eu não valia nada (a culpa não era minha).
Vendo um tópico do Blog da Fê (Duvidas Existenciais) nesta maravilhosa postagem ela diz que apenas esquecer as magoas não é o suficiente, isso pode nos tornar insensíveis. Precisamos relembrar estas coisas pra perdoar e deixar estas lembranças irem embora como amigas.
Na estrada da nossa vida tem muitas pedras e precisamos escolher, ou passamos por todo o nosso trajeto chutando estas pedras ou a pegamos e simplesmente as deixemos para traz como amigas.
O interessante de ficar nesta situação é que recebi visitas de pessoas que nem pensava que um dia ia encontrar, enquanto outras que a gente tem a maior amizade somem. Já não fico chateado com estas pessoas. Confesso que fico muito mais feliz quando eu vejo que alguém acessou o blog e fico me perguntando: "será que este blog esta ajudando as pessoas conforme planejado?"
Hoje estou muito feliz, ter tirado o gesso dos braços foi como ter nascido novamente. Foi muito proveitoso poder fazer carinho na minha namorada novamente. Poder coçar o pé, cutucar minhas perebas e principalmente fazer uma coisa que todo homem faz, nem se for escondido, que é coçar.

2 comentários:

  1. Kikooo... estamos todos torcendo para voce voltar...

    abraços irmão!!!

    saudades cara...

    ResponderExcluir